segunda-feira, 26 de maio de 2014

Polícia faz reconstituição da morte do dançarino DG em favela do Rio

A reconstituição, que deve durar 10 horas, segundo policiais, pode esclarecer de onde partiu o tiro que atingiu o dançarino. Após contradições, a Polícia Civil admitiu que a posição do corpo de DG foi alterada na perícia. Uma imagem divulgada mostrou que ele estava agachado e com uma marca de tiros nas costas. No entanto, antes da veiculação da imagem, a polícia chegou a afirmar que ele havia morrido em decorrência de uma queda.
Fotos jadson marques